17
nov
2014
0

Aprenda usar o que você tem de melhor para alavancar as áreas de sua vida que precisam ser transformadas

 

Descubra qual área de sua vida está em desequilíbrio e concentre todos os seus esforços para superá-la.

  equilibrio (1)

 

 

Quando fiz coaching, uma atividade me tocou profundamente.

A atividade consistiu em autoavaliar o grau de satisfação de várias áreas da minha vida.

Juntas, essas áreas são responsáveis por nos manter em equilíbrio.

A atividade utiliza a técnica chamada Roda da Vida.

A roda da vida é composta de dez áreas essenciais de nossa vida que, em equilíbrio, tornam uma pessoa plenamente satisfeita consigo mesma e com o universo que a cerca.

Esse é um excelente exercício para mapear o que está bem na nossa vida e o que precisa ser melhorado.

Dentre essas dez áreas existe aquela ou aquelas, que são consideradas alavancas para equilibrar as demais.

O levantamento dessas dez áreas se baseia no livro de Rhandy di Stéfano, “Manual do Sucesso Total”.

São elas: relacionamento familiar, lazer, vida financeira, profissional, intelectual, emocional, espiritual, estado físico, relacionamento íntimo e social.

Roda da vida

Como você avalia essas dez áreas da sua vida?

Quando analisei a roda da minha vida, pude observar que o meu desequilíbrio era na esfera profissional.

Minha alavanca, ou seja, o que me impulsionava era meu relacionamento familiar e vida espiritual.

Naquela oportunidade, eu estava frustrada com meu trabalho!

Muito embora minha vivência familiar e espiritual me fortalecesse, eu precisava empreender esforços para ajustar meu lado profissional.

Por algum tempo relutei, pois dúvidas, incertezas, medos, me impediam de agir.

Ao procrastinar uma decisão inevitável, eu me fechava para tantas outras possibilidades que poderiam me fazer feliz.

Depois de muito sofrimento, angústia, dúvidas, decidi largá-lo. Não foi fácil tomar essa decisão, pois minha vida mudaria completamente.

Eu não sabia se estava preparada para enfrentar tamanha mudança. Afinal, dediquei esforço, dinheiro, tempo, estudo, para desempenhar aquela função.

Muitas pessoas me chamavam de louca por abrir mão de um trabalho que tantos queriam…

Contudo, o que eu não podia mais era acordar todos os dias e fazer algo que já não fazia sentido para mim.

Decidi seguir meu coração e pagar o preço da mudança!

A primeira consequência foi financeira. É claro!

Imediatamente fiquei dependente financeiramente do meu marido.

Isso não é ruim se há consenso entre o casal. E foi o meu caso. Mas, isso significava que eu não estava produzindo. Eu estava dependente. E isso não era bom.

Eu era saudável, inteligente, preparada, com duas faculdades, difícil aceitar que eu não estava gerando renda.

Mas ainda assim, em nenhum momento me arrependi.

Minha insatisfação com o trabalho me desequilibrou e a carga de negatividade, ansiedade, estresse, contaminou meu estado emocional, me trazendo dores físicas, chegando até a afetar meu relacionamento íntimo e social.

Quem quer estar perto de uma pessoa triste, pessimista e descontente?

Roda

Para ilustrar o alcance da análise da Roda da Vida, vou compará-la a uma roda com aros.

Agora, imagine que um desses aros se quebre ou apresente defeitos. Provavelmente a roda não vai girar, e por consequência, não vai cumprir sua missão de conduzir o veículo.

Assim, a roda não desempenhará o seu papel, e ninguém ganhará com isso.

Analisar a roda da minha vida foi fundamental para perceber onde estava o defeito. O que estava provocando em mim, tamanha insatisfação.

Consciente disso, ainda relutei por um longo tempo, mas foi inevitável.

De duas alternativas, uma:

ou encarava meu medo de enfrentar a mudança ou pagaria o preço da inércia… me conformar com uma situação que não me fazia feliz!

O mais sério disso tudo é que, algumas áreas são alavancas para outras, mas o contrário também é verdadeiro.

Quando não estamos bem em uma área da nossa vida, esta, influencia as demais.

O que dizer do relacionamento familiar em desarmonia ou não estar bem financeiramente.

O desequilíbrio em qualquer uma das áreas que compõe a Roda da vida, abala o estado emocional da pessoa e compromete sua autoestima. E isso, contamina quem está ao redor, criando uma nuvem negra que se abate sobre todos.

O que aconteceu comigo na questão profissional, pode estar acontecendo com você neste momento, em qualquer área de sua vida.

É bem provável que você tema a mudança, porque não tem ideia do que está pela frente. Mas, viver é assumir riscos.

O medo é vencido quando aceitamos que temos que enfrentá-lo.

Talvez sua insatisfação não seja com o trabalho, mas em outra área. Pode ser que por sua causa, as pessoas que convivem com você estejam sofrendo.

Não é fácil abandonar um emprego, perder peso, terminar uma relação amorosa ou mudar de cidade.

Talvez o que você precise seja adotar hábitos saudáveis, buscar a Deus, descansar com a família, manter aquela conversa que a tempos vem adiando.

É chegada a hora de mudar. Afastar-se daquilo que lhe faz mal, adotar o que faz bem e seguir em frente.

Então:

Pare de procrastinar o inevitável.

Enfrente o medo da mudança.

Prepare-se para a mudança.

Decida o que você quer.

Converse sobre o assunto com quem pode ajudar você.

Não se conforme com uma vida medíocre.

Persiga seus sonhos.

Não perca mais tempo.

Pague o preço.

Tenha fé.

Tudo começa com uma decisão.

Avalie as áreas da sua vida e descubra qual está carente de mudanças.

Encontre sua alavanca e coloque foco para superar com entusiasmo seus desafios.

Minha decisão foi viver o resto da minha vida fazendo algo que me trouxesse satisfação. Para isso precisei dar o primeiro passo nessa direção.

Entenda que adiar uma decisão poderá desequilibrar outras esferas da sua vida.

Tenha coragem, construa a vida que você merece.

Realize seus sonhos!

RODA-DA-VIDA

Deixe um Comentário